Tipos de yoga e qual combina mais com você

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O fundador do Global Yoga Congress, Jordi Canela, define as características de cada estilo de yoga e para que tipo de pessoas é mais adequado

O Yoga  procura o  equilíbrio a nível físico, mental e espiritual e exprime-se em diferentes formas ou estilos, que permitem adaptar a sua prática ao perfil de cada pessoa. Como explica Jordi Canela, fundador do  Global Yoga Congress  , o yoga tradicional ou clássico é o que se conhece como  Hatha Yoga , baseado na prática física e respiratória e focado na busca do equilíbrio. “Esta prática seria adequada para todos os tipos de pessoas, embora seja verdade que existem níveis: básico, intermediário e avançado”, esclarece. Ao definir cada estilo, as nuances são importantes. Assim, o  Hatha Raja é uma modalidade de Hatha Yoga que vai mais “para dentro” e tende à meditação no movimento e no controle da respiração; enquanto o  Hatha Vinyasa  é mais dinâmico e focado na conexão com o corpo através do movimento, segundo o especialista.

Iyengar, para começar

A modalidade  Iyengar é indicada, segundo revela Jordi Canela, para pessoas que têm alguma dificuldade física ou querem aprender a realizar a postura da forma mais correta possível, alinhando o corpo e trabalhando a perfeição do movimento.

Sivananda, para dar vida ao yoga

As pessoas que praticam exercícios com alguma regularidade encontrarão  no Sivananda  uma boa opção, pois é baseado no Hatha tradicional, mas focando na prática das 12 posturas essenciais do yoga. “A perfeição no alinhamento corporal não é buscada na prática da postura, mas sim na prática do yoga integral, que inclui cuidar do descanso, alimentação, manter o pensamento positivo, meditar e praticar asanas”, diz o especialista.

Ashtanga, para os mais atléticos

Dentro do Hatha Yoga, o estilo que mais exige preparo físico para a prática é o  Ashtanga . É intenso, foi criado para avançar rápido e em altíssimo nível. Ele é projetado para pessoas atléticas, pois exige maior esforço corporal. Nesta disciplina, o progresso é feito através de cinco sequências, que aumentam de intensidade. Além disso, como explica Jordi Canela, pode-se dizer que, ao contrário do Vinyasa, o Ashtanga é uma disciplina mais “masculina”, pois no Vinyasa as posturas estão ligadas, o movimento é mais próximo da dança e é praticado com estilos de música. Algo muito diferente do que acontece com Ashtanga.

Dharma Yoga, mais um passo

Se com os estilos anteriores de yoga a parte física, dinamismo e agilidade são trabalhados em maior medida, com o Dharma Yoga essa parte física é integrada com as práticas que facilitam a espiritualidade e a introspecção. Esta prática seria para níveis avançados.

Kundalini e Kriya Yoga, em busca de energia

Se formos para um nível ainda mais avançado, teríamos que falar sobre a prática de kundalini, cujo objetivo é conectar energias, e Kriya Yoga, centrada na espiritualidade.

Através de encontros como o Global Yoga Congress, organizado pela Yoga One, mais de 90 profissionais internacionais de yoga, incluindo Christi Christensen, Andrei Ram, Ambra Ballo, Fabio Filippi, Gustavo Plaza, Camilo Garcia, Simon Park, Alexis Simon e Jordi Canela tentam divulgar os benefícios dessa prática tanto para o corpo quanto para a alma.

Deixe um comentário

Leia também...